Workshop do ENF tem início na tarde desta quinta

peg4Primeiro workshop do Encontro Nacional de Formação 2018 da Renovação Carismática Católica teve como tema “Retornando ao primeiro amor”. Esse ano, a dinâmica proposta pelo evento ofereceu um workshop único para todos os participantes, ou seja, nesse momento, os carismáticos não foram divididos por Ministérios. A primeira pregação trouxe o tema  “Grupo de Oração, a alma da Renovação”, ministrada por Vinícius Rodrigues Simões, presidente do Conselho Estadual da RCC-RJ. A formação aconteceu nesta quinta (25) no Centro de Evangelização Dom João Hipólito de Morais, na Canção Nova em Cachoeira Paulista-SP.

Vinícius Simões iniciou falando sobre a importância e a necessidade de bendizermos os nossos Grupos. “O Grupo de Oração ajuda os cristãos a redescobrirem Pentecostes. O teu Grupo tem recebido Pentecostes como conceito ou como uma experiência poderosa do amor de Deus? Muitos de nós temos murmurado contra os nossos Grupos de Oração. Somos chamados a bendizê-los, pois lá é o lugar para as pessoas verem Jesus”, ressaltou.

Em seguida, o formador fez uma linha do tempo sobre as definições de Grupo de Oração de acordo com diversos autores reconhecidos pelo Movimento, como o Cardeal Leo-Jozef Suenens, Monsenhor Jonas Abib, José Prado Flores, entre outros, além de definições abordadas em ENFs anteriores. Dentre elas, podemos destacar: Grupo de Oração é a alma da RCC; é a célula fundamental da Renovação; é um tesouro de Deus; é o amor de Deus em ação; é um celeiro de santos; é um oásis de misericórdia; um hospital de campanha; cenáculo de Jerusalém nos dias de hoje.

Além disso, ele falou sobre a necessidade do Grupo de Oração nos dias atuais. “A Renovação será saudável se ela tiver um Grupo de Oração saudável. A RCC não vive de encontros, vive de experiências semanais em cada Grupo. Não estamos em tempo de fechar, mas de multiplicá-los. Se você se afastou do teu grupo, está na hora de voltar para o Cenáculo”, exortou.

O presidente do Conselho Estadual do Rio de Janeiro afirmou que pesquisou o que todos os autores antigos da Renovação Carismática Católica dizem em comum a respeito dos elementos essenciais que cada Grupo de Oração deve possuir: louvor, Palavra de Deus, exercício dos carismas, genuíno Batismo no Espírito Santo, vida em comunidade de amor e uma liderança com alto nível de conhecimento.

O louvor é o primeiro componente essencial em cada Grupo. “Quando louvamos, estamos cumprindo aquilo que fomos criados. Ele nos afasta de todo abatimento, murmuração. Se teu Grupo de Oração está mais ou menos, talvez esteja faltando louvor”, disse. Sobre a Palavra de Deus, Vinícius explicou que ela é a Palavra do Espírito, é matéria espiritual para criar novas realidades e acrescentou que os Grupos precisam voltar a rezar com a Palavra.

O formador ressaltou a importância de voltarmos à nossa identidade ao falar do exercício dos carismas, terceiro componente essencial. “Os carismas são o Espírito Santo em ação. Eles são uma realidade viva no mundo de hoje. Precisamos olhar para a nossa casa porque temos perdido um pouco de nossa identidade”, alertou. Ele também ressaltou que o Batismo no Espírito Santo não é uma experiência automática. “O genuíno Batismo no Espírito Santo é uma graça que renova toda a vida cristã. Não é uma experiência automática, requer arrependimento e preparação. Nem tudo tem nos conduzido a um genuíno Batismo no Espírito Santo”, ratificou.

Sobre a vida comunitária, Vinícius afirmou que uma comunidade de amor exige relacionamento fraterno, respeito ao outro e perguntou se nossos Grupos de Oração tem sido comunidades de amor, lugar de perdão e festa. Por fim, sobre a liderança com alto nível de comprometimento, último componente essencial para os Grupos, ele explicou como devem ser os líderes. “Uma liderança que tem consciência da realidade que possui, sensível, que leve o povo a se encontrar com o Senhor, tenha sido garçom, ‘pau para toda obra’. Temos que ter alto nível de comprometimento para os nossos Grupos de Oração, nossas dioceses, estados, nosso Brasil, assumir nosso chamado para que o Grupo de Oração não se encerre”, concluiu.