[Formação] A PRÁTICA DOS CARISMAS E DA ESCUTA NA VIDA DO INTERCESSOR

Neste mês de Dezembro os intercessores do Brasil são chamados a meditar sua intimidade com o Senhor através da oração pessoal e o uso dos carismas. Leia toda a formação do Ministério Nacional de Intercessão.

A PRÁTICA DOS CARISMAS E DA ESCUTA NA VIDA DO INTERCESSOR

intercessãop dez

Frequentemente encontramos relatos de intercessores sobre a dificuldade com o uso dos carismas em sua vida de oração e da escuta do Senhor que o direcione a uma experiência profunda com Deus. Os carismas são dons do Espírito Santo, portanto, é o Espírito de Deus quem alimenta estes dons no fiel. Todavia, Deus faz questão que nós tomemos a iniciativa de reinflamar, significando que precisamos, além de desejar, pedir ao Espírito que renove estes dons. Esta realidade pode ser comparada ao ato de soprar sobre o fogo em um fogão à lenha. É a pessoa que toma a iniciativa de soprar, mas é o oxigênio do ar que alimenta e intensifica a combustão.

Sabemos que os carismas são distribuídos pelo Espírito Santo conforme a Sua perfeitíssima vontade, no entanto, o que observamos na prática, é que o Espírito Santo distribui os carismas em abundância sobre todos aqueles que em suas orações O suplicam com insistência, conforme orienta São Paulo aos coríntios quando diz: “Assim, uma vez que aspirais aos dons espirituais, procurai tê-los em abundância para edificação da Igreja” (I Coríntios 14,12). Entretanto, podemos encontrar obstáculos interiores que nos impõem dificuldades para aceitarmos livremente os carismas. Tais obstáculos podem ser causados por consequências de bloqueios provocados por dúvidas, traumas ou mesmo pelo excesso de escrúpulos que se manifestam quando exigimos provas incontestáveis de que de fato recebemos um carisma.

O recomendado para estes casos seria procurar ajuda através da oração de cura interior que pode ser muito útil na libertação de traumas e bloqueios espirituais ou emocionais. Da mesma forma que muitos enfrentam dificuldades na abertura aos carismas, outros encontram dificuldades para se aprofundar na escuta espiritual. Existe um caminho a ser seguido para alcançarmos esta capacidade: a oração pessoal. Porém, é um caminho, não uma fórmula, pois há grande erro em buscar uma uniformidade quando queremos escutar o Senhor. Ele nos fez únicos e nos ama com um amor particular, portanto, fala-nos de forma individual. 

O Senhor usa da linguagem à qual estamos acostumados, fala no idioma que compreendemos. Porém, o desejo de ouvir, às vezes, atrapalha. Muitas vezes, criamos ansiedade e expectativas que nos atrapalham. A tensão não colabora para que nosso coração encontre o coração de Deus. É importante que haja liberdade em estar com Ele, sem obrigações nem cobranças. Não cobre Deus para que fale, e não se cobre uma atitude ou a necessidade de fazer alguma coisa. Esteja livremente junto d’Ele. A capacidade da escuta depende muito da nossa disciplina na oração pessoal. É necessário, portanto, buscarmos o silêncio interior enquanto oramos, é necessário evitar a ansiedade de querer sempre ouvir ou ver quando nos colocamos em atitude de escuta.

Devemos saber que o que depende de nós é apenas a atitude de nos colocar em escuta e que é de Deus a decisão de falar ou não naquele momento em que estamos orando. No entanto, o Senhor é misericórdia e bondade infinitas e está sempre muito próximo de nós. Por isso, se nos submetermos a um processo de oração pessoal disciplinado e constante com a prática dos carismas e da escuta, aos poucos o Espírito Santo vai nos formando e capacitando para ouvirmos e discernirmos a Sua doce voz. Mas, para isso, precisamos exercitar a persistência, a disciplina e a fé!

A perfeição da escuta estar diretamente relacionada com a intimidade com Deus, assim é necessário que o intercessor seja constante em sua vida de oração e, que esta seja vivida com humildade e sinceridade para que se torne íntimo na oração, nas práticas espirituais a ponto de se tornar amigo de Deus. “O Senhor se entretinha com Moisés face a face, como um homem fala com seu amigo." (Êxodo 33, 11a).


Núcleo Nacional do Ministério de Intercessão